Atenção, o seu browser está desactualizado.
Para ter uma boa experiência de navegação recomendamos que utilize uma versão actualizada do Chrome, Firefox, Safari, Opera ou Internet Explorer.

Eje Cafetero

Água, Ar e Terra, Colômbia
Oeste da Colômbia

Eje Cafetero (ou em português eixo cafeeiro) é também conhecido como “O Triângulo do Café” (ou "Paisagem Cultural Cafeeiro", batizado recentemente pelo governo) e situa-se na zona rural do oeste mantanhoso da Colômbia, onde se produz o melhor café deste país sul-americano, mundialmente famoso pela qualidade de seus grãos. Este vasto território interior, destino carregado de beleza natural, inclui os departamentos de Caldas, Quindío e Risaralda entre os quais estão cidades como Arménia, Pereira, Calarcá e Buenavista. 

A UNESCO nomeou o Eje Cafetero com o nome de Paisagem Cultural do Café da Colômbia e atribui-lhe o reconhecimento de Património Mundial por "ser um exemplo excepcional de paisagem cultural produtora sustentável única e representante de uma tradição que é um forte símbolo da cafeicultura mundial". Luxuosos hotéis-fazenda e gentes afáveis fazem par nas colinas e montanhas verdes com águas termais e picos nevados, plantações de café intermináveis, imensas cascatas, árvores multicores e povoações animadas por cores e flores.

 

A não perder:

. Café. Passeio a cavalo para desbravar os cafezais da região, aprender a arte da colheita feita essencialmente à mão, explicações sobre todo o universo do café e a sua história (desde o seu surgimento na Etiópia até hoje) e o “batismo cafeeiro” em que se ensina como degustar o café, distinguindo nuances de sabor, níveis de acidez e qualidade do aroma.

. Tropeiros. A Colômbia tem 914 mil hectares de cafezais e produz, anualmente, uma média de 9,7 milhões de sacos de 60 quilos de café (31% dos quais vêm do Triângulo). Mesmo transportando boa parte dos seus grãos em veículos motorizados, a região ainda abriga boa quantidade de arrieros (tropeiros) que, sempre ao lado de suas mulas carregadas de café, continuam a ser uma das imagens mais tradicionais deste lado do país.

. Palmeiras. Já o Vale do Cocora é pontuado pelas majestosas “palmas de cera”, palmeiras que, com 70 metros de altura, são a árvore símbolo da Colômbia e tem a capacidade de viver 200 anos. 

. Festival de jeeps. A cidade de Arménia é um dos principais centros urbanos do Triângulo do Café e todos os anos, no mês de novembro, sedia o festival Jeepão, que promove desfiles de dezenas de jeeps Willys dos fazendeiros e camponeses da área. Tais veículos são um instrumento fundamental para o transporte do café pela região, formada por um terreno extremamente acidentado. Os veículos são carregados e decorados com frutas e legumes, sacas de café e até móveis e, durante uma tarde, passeiam pelas principais avenidas da cidade a tocar as suas buzinas e, em alguns casos, a fazer acrobacias. Cada jeep chega a levar meia tonelada de produtos agrícolas ou objetos como sofás, armários, televisores e até gaiolas com galinhas.

. Río de la Vieja. Navegar o rio num Balza de Guadua é um programa para aventureiros. Durante o passeio pode-se apreciar a flora e a fauna local incluindo ursos e macacos. 

. Cascatas de Santa Rosa de Cabal. Depois de longas caminhadas um relaxante mergulho é energizante. Estas águas vêm do centro da terra e são naturalmente cristalinas, tendo os atributos necessários para restaurar energias.

. Luzes de Quimbaya. Nesta cidade, em Dezembro, acende-se todo o tipo de iluminária desde LEDs, lanternas e velas, em homenagem à Virgem Maria. 

. Chouriços de Rosa de Cabal. São os mais deliciosos de toda a Colômbia.  Feitos de carne picada e pouca gordura, são, sem dúvida, um programa gastronómico a não perder.

. Subir o Parque Nacional de Nevados. Visitar este parque e os vulcões de Tolina, Ruiz e Santa Isabel são atividades obrigatórias. Há diferentes trilhos conforme a preparação física de cada visitante.